RESENHA: Eu Sei O Que Você Está Pensando.

“Se você não pode recuar, acelere o máximo para frente.”

Madeleine Gurney

Sim, eu realmente sei. Vocês devem estar pensando “Quem é essa escrevendo no blog do Baloo, da Letícia e da Marieta?”. Fato é que este blog também é meu, vocês não lembram, nem me reconhecem porque tenho aparecido pouco – ou quase nada- por aqui.

Hoje eu finalmente vim servir e tomar minha xícara de chá desta bandeja!

No livro “Eu Sei O Que Você Está Pensando”, o autor John Verdon cria uma fórmula perfeita para pessoas curiosas como eu. O livro começar apresentando ao leitor um mistério aparentemente sem solução lógica através de um bilhete enigmático:

 “Se alguém dissesse para pensar em um número, sei em que número você pensaria. Não acredita? Vou provar. Pense em qualquer número de um a mil – no primeiro número que lhe vier a mente. Visualize-o. Agora veja como conheço seus segredos. Abra o envelope pequeno.” – X Arybdis

 Surpreendentemente o autor do bilhete sabia que Mark Mellery pensaria no número 658. Como isso seria possível?  Mellery é um ex-alcoólatra que há muito tempo esteve envolvido com submundo e que após passar por uma perda da qual se culpa, mudou totalmente de vida e se tornou uma espécie de guru da auto-ajuda e criou um lugar para onde as pessoas vão à busca de crescimento pessoal: o Instituto Mellery. Os bilhetes recebidos pelo guru se tornam cada vez mais ameaçadores e a trama se desdobra para um final surpreendentemente inesperado, com uma explicação impensável (pelo menos para mim rs), que desmistifica a trama e leva a história a um final simples mas satisfatório.

Ganhei o livro do Baloo, e de cara me apaixonei pelo nome, pela sinopse e pelo mistério. Percebi que Baloo é daqueles que com alguns meses de convivência e confidências já conhece seu gosto literário melhor do que você mesmo. Ele me trouxe o livro da Bienal do Livro de Minas que aconteceu em Belo Horizonte em maio deste ano. Para ver as postagens sobre a bienal clique aqui!

Depois de receber os primeiros bilhetes Mellery procura por um velho amigo, não tão próximo, mas de quem se sentia intimo o suficiente para pedir ajuda. Esse amigo é Dave Gurney, um detetive aposentado bem conhecido por seus grandes feitos policiais na captura de seriais killers; o que também explica o porquê de ter sido procurado pelo velho amigo de faculdade.

Gurney vive com sua esposa, a amável, decidida e capciosa Madeleine, em uma fazenda no interior do estado e luta para se acostumar a esse novo estilo de vida. A mudança seria a compensação de Madeleine por toda a apreensão e aborrecimentos provenientes de se ser casada com um detetive que lida com os piores tipos de delinqüentes. Madeleine ainda espera que Gurney consiga um dia deixar de analisar tudo na vida como um grande quebra cabeça a ser montado – mania herdade de sua brilhante carreira como investigador.

Paralela a trama central que se desenvolve encima dos bilhetes recebidos por Mellery, os dramas pessoais de Gurney vão sendo apresentados, humanizando o ex-detetive que agora tem como hobby a arte de “trabalhar” fotos de psicopatas assassinos e expô-las em uma galeria. Gurney vive com a culpa e a dor de uma perda, e a dificuldade de se entender com o único filho, fruto de seu primeiro casamento.

O livro é bem escrito, em uma linguagem bem simples e direta. Minha ansiedade achou a narrativa descritiva demais, o que tornou a leitura um pouco cansativa no início, mas o que vem depois da metade do livro vale a pena, então persista!! Recomendo a leitura naqueles dias em que você quiser aguçar sua curiosidade e ler um livro daqueles que te levam madrugada a dentro, afinal são muitas e nenhumas as explicações para o fato de alguém saber exatamente em que número uma pessoa irá pensar.

Capa da Edição Americana lançado pela ediora The Crown Publishing Group.

Livro: Eu Sei O Que Você Está Pensando

Autor: John Verdon

Título Original: Think Of A Number

Tradução: Ivanir Calado

Número de páginas: 339

Editora: Arqueiro

Meu personagem favorito: Madeleine Gurney, por pura identificação.

Porque tomar um chá lendo essa história: Ter a curiosidade aguçada a ponto de criar mil e uma explicações para o inexplicável para mim é um ótimo motivo.

Avaliação:

Um ótimo chá para vocês!!
Sobre o Autor

Bárbara Bárbara quase estudou medicina, mas queria mesmo era ser bailarina ou pianista. Acabou se formando em direito e está feliz com sua escolha. Em um futuro não muito distante se tornará uma advogada que toca piano e dança balé. Escreve porque ainda tem algumas perguntas, e lê porque busca respostas.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s