RESENHA: Desculpe Se Te Chamo de Amor.

Após uma volta de montanha russa dos meus sentimentos, cheguei ao fim do livro Desculpe Se Te Chamo De Amor do autor italiano Federico Moccia. Desde que conheci o livro, sempre tive a vontade de lê-lo por diversos motivos: pelas críticas que lia a respeito, pela sua capa simples e direta ( sim, sou louco por capas!), pela história, por ser um romance, por ser uma história passada na cidade que sonho conhecer um dia (Roma, é claro!), e tudo mais.

Bem, é um romance bastante moderno. Não chega ser um belo conto de fadas, mas tem nuances deliciosas em diversas passagens. É uma história bastante jovem  e de maneira direta considerei o livro um pouco irreverente. Mas não de uma forma negativa.

A história é sobre o amor. O louco amor. O amor que nos move… Como o próprio autor diz, o motor amor. Aquele que nos impulsiona e nos guia, que nos condiciona e que nos sustenta durante a vida. Mas devo confessar, durante toda a leitura foi durar terminar o livro…

Alessandro um jovem publicitário de 37 anos está recém-separado de sua noiva Elena. Um homem maduro, profissional estável, belo e muito sério. Um dia, ele bate o seu carro em uma moto pilotada pela doce, singela, mas forte e incrivelmente vivaz Niki de apenas 17 anos. A partir daí início a uma história de amor entre os dois.

“- Meu Deus, um anjo.

– Oxalá fosse, sou o motorista.

– Mas que diabos, _ Niki ergue-se devagar_ mas para onde diabos você estava olhando, motorista? Em que diabos você pensa quando dirige?” (página 51)

O conflito da idade, as incertezas dos dois quanto ao futuro, à relação dos amigos de cada um é tão igual que até parece mentira. Alex (como também é chamado Alessandro) é uma personagem que consegui sentir o amor da nova conquista e namorada Niki na pele, mas mesmo assim em alguns momentos sentisse impelido a lembrar da antiga noiva que o largou. Niki, com a dificuldade de como conciliar o namoro e sua família, a escola e as mentiras inventadas para cabular aula e tudo mais é uma jovem interessante e muito cativante. Mas não sei a história dos dois juntos me deu certo receio. Não é pela idade, mas pela própria essência da relação… Algo que não sei se conseguirei explicar… Mas amei os personagens, mas não consegui enxergá-los com tanto amor juntos.

Uma história que poderia realmente me cativar por inteiro… Mas infelizmente não cativou. Não completamente. Amei as loucuras que a Niki e suas amigas – Dilleta, Olly e Erica- aprontam. Elas se consideram “As Ondas”, um grupo de amigas que são amigas – realmente – de verdade. O lance de mostrar a vivência da agência de publicidade que o Alex trabalha e a campanha da bala LaLuna também foi excelente, principalmente pela hilárias interações do personagem de Alex com o até então funcionário “desconhecido” Andrea Soldini.

“Ser criativo significa não ser prisioneiro do tempo dos outros. Não ter limites nem fronteiras, até encontrar a ideia perfeita que paga por todo aquele tempo que não existe mais…” (página 141).

Mas o livro me deixou desnorteado e em alguns momentos bem fadado ao ímpeto de não voltar a lê-lo jamais. Mas isso foi salvo nas últimas 100 páginas. O autor ali conseguiu me conquistar, mas acho que já estava tão cansado da história que realmente só queria terminar o livro para descobrir com seria finalizado tudo aquilo.

Existe uma adaptação cinematográfica da obra literária. A direção do longa é do próprio autor do livro, por isso fiquei bastante curioso para ver. Aqui no Brasil, o filme saiu com o título de  Lição de Amor, acredito que em breve verei.

E ainda confesso que apesar da história não ter me cativado tanto, quero ler a continuação da história no livro Desculpe Quero Me Casar Contigo. Acho que devo dar uma chance ao Alex e a Niki.

LEIAMOS!

Livro: Desculpe Se Te Chamo de Amor

Autor: Federico Moccia

Título Original: Scusa Ma Ti Chiamo Amore

Tradução: Gian Bruno Grosso

Número de páginas: 413

Editora: Planeta

Melhores Personagens: Simona e Roberto, os pais de Niki. Um casal hilariamente apaixonado. Diverti muito com os diálogos dos dois.

Por que tomar um chá lendo essa história: As inserções da cultura pop moderna são bem interessantes. As músicas, os estilos , o cinema e celebridades citadas no livro dão uma percepção de que somos parte do universo criado pelo autor.

Avaliação:

Sobre o Resenhista:

Fabiano Fabiano Baloo é apaixonado por histórias. Ele é leonino, gosta de chocolates, pizza, coruja e a cor amarela . Adoraria ter se formado em Hogwarts.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s