Hayao Miyazaki

As animações sempre foram muito conhecidas pelos estúdios que as dirigem – Disney, Pixar, Ghibli. Raramente sabemos os nomes das pessoas por detrás delas, quem as pensou, escreveu, dirigiu e sim! Desenhos precisam de toda essa gente. Tome por exemplo uma das mais clássicas animações, O Rei Leão. Sabe o nome de quem a dirigiu? Não? Nem eu.

Sendo contrário a isso, um nome é lembrado e aclamado por muitos como o diretor das mais belas animações japonesas: Hayao Miyazaki, um dos fundadores do Studio Ghibli, nascido em 5 de janeiro de 1941, internacionalmente conhecido a partir do filme “Princesa Mononoke”, vencedor do Oscar de melhor animação em 2003 por “A viagem de Chihiro.”

Hayao tomando um chá de histórias

Se você não sabe de quem estou falando… Precisa conhecê-lo.

As influências da Segunda Guerra Mundial, que acontecia quando nasceu, do pai fabricante de lemes de aviões nessa mesma época e do amor à mãe, que esteve internada devido a tuberculose durante quase toda sua infância são notórias nos filmes de Hayao. Muitos dos seus enredos foram construídos com base nessa batalha, com atenção especial aos aviões. Algumas personagens femininas carregavam consigo a personalidade da mãe do diretor (a mãe de Mei e Satsuki em Meu Vizinho Totoro sofria de doença semelhante).

Além disso, a cultura japonesa, língua, crenças e mitos aparecem constantemente nas filmagens, encantando-nos com a riqueza de pensamentos e cores e com os amores mais profundos que se possa ter em mente.

Preparei uma lista com minhas cinco animações favoritas dele. Cada uma mais linda que a outra, portanto, recomendo todas. É possível conhecer mais de sua história, trabalhos e nascimento do Studio Ghibli clicando aqui.

A viagem de Chihiro

De longe, minha animação preferida e talvez a mais conhecida de Miyazaki, conta a história de Chihiro, uma menina mal-humorada de 10 anos de idade, que no meio da mudança de sua família para os subúrbios, vagueia em um mundo regido por deuses, bruxas e monstros, onde os seres humanos são transformados em animais, e existe uma casa de banhos para estas criaturas. (Falarei mais de Chihiro e dos pequenos mistérios que esse filme me entregou em outra oportunidade.)

O castelo animado

Quando uma jovem é amaldiçoada com um corpo velho por uma bruxa malévola, sua única chance de quebrar o feitiço está com um assistente auto-indulgente, um jovem mago e seus companheiros em sua casa que tem pernas e anda.

Princesa Mononoke

Um príncipe infectado por uma doença sabe que irá morrer a menos que encontre a cura. Sendo a sua última esperança, segue para o leste e, durante o caminho, encontra animais da floresta lutando contra a sua exploração, liderados pela princesa Mononoke.

Ponyo

Ponyo é uma peixinha dourada que conhece o garoto Sosuke, de apenas cinco anos de idade. A amizade entre os dois é tão grande que Ponyo resolve se tornar humana só para ficar mais tempo ao lado de seu amigo.

Meu vizinho Totoro

Duas meninas (Mei e Satsuki) se mudam com o pai para o interior, para poder ficar perto da mãe, que está se tratando de uma doença em um hospital local. Lá, elas viverão muitas aventuras ao lado do espírito protetor da floresta Totoro (na verdade chama-se Torôru, mas Mei não consegue pronunciar este nome direito) e que vive próximo da nova casa, em uma cânfora gigante.

Lanço um desafio: assistam a esses filmes e tentem não se emocionar com pelo menos um. Garanto que será difícil.

Certa vez sonhei que passeava por uma bela cidade com muita neve. Para me aquecer, entrei num restaurante e pedi vinho quente. O local fervilhava de pessoas tentando se proteger do frio. Um homem muito velho lia uma imensa pilha de papéis e sua mesa era a única com uma cadeira vazia, então me aproximei e antes mesmo de perguntar, ele assinalou com a cabeça que poderia sentar. Quando levantou os olhos para mim, pude ver que era Hayao Miyazaki. Meu peito quase explodiu em um misto de sensações: alegria, emoção e estranheza. Poxa, era o Hayao Miyazaki! Por que a mesa DELE estava vazia?

O sonho se estendeu com uma conversa muito agradável entre nós. Ele contou histórias de seus filmes, particularmente sobre os segredos e encantos de A viagem de Chihiro, porque confessei ser meu favorito. E enquanto ele falava, minha cabeça só conseguia pensar: “Que homem incrível! Que mente extraordinária!”

Para a alegria dos amantes cinematográficos, Hayao Miyazaki anunciou que está muito longe de se aposentar.

Sobre o Autor:

Letícia Letícia é uma não-escritora e leitora de fundo de quintal. Permitiu-se voar até no nome: Letícia Liberty Libertad. Liberlety.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s